Os vaqueiros desconstruídos do Verão/18 de Akihito Hira

Estilista, que ainda comemora o prêmio do Ceará Moda Contemporânea, lança campanha do Verão 2018 de sua marca e aqui você confere em primeira mão

Fotos: Anderson Augusto/Divulgação

A iniciativa de falar sobre o passado esquentando debates sobre como a vida seguia seu caminho antigamente, é instigante e já vislumbra o futuro. Assim nasceu o tema do concurso Ceará Moda Contemporânea (CMC) no maior evento de moda autoral da América Latina, o Dragão Fashion Festival 2017. Inúmeras interpretações riscaram as passarelas do DFB, mas uma delas foi destaque: a de Akihito Hira.

O vaqueiro sertanejo foi o ponto de partida para o estilista Akihito, que divide seu trabalho majestoso com seu parceiro Julio Andrade, iniciar as pesquisas que se desdobraram na coleção “Vaqueiro desconstruído pela alfaiataria”. Sem qualquer tipo de prova, assim como se define a prática da fé e a religiosidade dos vaqueiros, o “pesquisar à fundo” deu o tom para o desenvolvimento das peças com olhar focado nos homens vestidos em gibões decorados com arabescos sobre os seus cavalos.

 

“Do sertão de terra quente, o vaqueiro monta em cavalo ligeiro, domador de boi é seu destino.”

“Amansa boi bravo e a viola é seu hino.”

 

O CMC tinha regras claras e uma delas era o uso de artesanias postas nas peças. Tal regra foi muito bem aplicada à coleção nas rendas, bordados, crochês, reconstrução de modelagem, recortes e contemporaneidade. Mas também há ícones religiosos como as imagens de São José (padroeiro dos vaqueiros), e de Nossa Senhora com Menino Jesus nos forros estampados digitalmente. A habitual preocupação de que a roupa é tão importante por dentro como é por fora carimbaram o sucesso de Hira no DFB.

A poesia de Akihito Hira traz à tona uma reflexão sobre como é possível revisitar o que se faz história sem que seja apenas dotado de memórias e lembranças.

O passado pode ser mostrado na atualidade com requintes de modernidade, com expressão aprazível e aprendizado. É dúbio, é intenso, é reflexivo, e acima de tudo, trata de valorizar o que é nosso em amplos aspectos de longevidade de nossa tradição.

 

“Da caatinga, as cores que a um só tempo sopram terra e vento, branco da boiada, azul do céu, marrom da terra e de seu companheiro da lida, o cavalo.”

“Sopram os ventos de um novo vestir corporificado para o homem de agora.”

 Agora, em primeiríssima mão, confira todo o ensaio que culmina em campanha para a coleção premiada de Akihito Hira.

Ficha Técnica

Foto: Anderson Augusto
Assistente: Kilvia Colares
Modelo: Rafael Câmara
Produção e Styling: Akihito Hira, Julio Andrade e Jéssica Vasconcelos

 

 




One thought on “Os vaqueiros desconstruídos do Verão/18 de Akihito Hira

  1. Júlio Andrade

    Querido Fernando..! brilhante texto sobre Akihito Hira .. muito obrigado pelo carinho.
    Bjaum Júlio Andrade.

    Reply

Deixe uma resposta