Inova Moda propõe reflexão sobre o futuro da atual moda

Caderno de tendências reúne profissionais do Senai e Sebrae em busca de criar um paralelo entre o pensamento sobre moda e o desenvolvimento de coleções

Fotos: Reprodução do Caderno

Por muitos anos os bureaus de tendências fizeram as cabeças dos pesquisadores de moda mundo afora. Continuam necessários, entretanto, há um novo movimento no mundo da moda que dispara informações menos tradicionais e mais localizadas. Os cadernos de tendências são os queridinhos dos criadores e dos produtores da nova moda brasileira. O projeto Inova Moda tem a chancela do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), e servem de ponto de partida para o desenvolvimento de coleções.

O objetivo primeiro do Inova Moda é estimular a criação de produtos com diferenciais e que atendam aos quesitos de competitividade do mercado, em especial pelos pequenos negócios da moda. A forma escolhida para alimentar a cadeia é a disseminação de informações sobre comportamento, mercado, tecnologia, design, moda e capacitação nas mais variadas áreas de atuação, como setor têxtil, joias, bijuterias, couro, confecção e calçados.

A partir de pesquisas internacionais e pelo Brasil, os desenvolvedores descrevem como será a moda dentro de alguns meses. No finalzinho de maio, foi lançado o Inova Moda Utopias, que descreve como deverá ser o comportamento da moda no Inverno 2018. Já são 3 anos e meio de pesquisas, desde que a ideia foi lançada e a sétima edição do projeto traz formato definido e é referência para um grande número de estilistas, stylists e alunos de Estilismo e Design de Moda.

O que diz o caderno…

Entre muitos fatores citados na publicação, como tecnologia empregada na indústria, análise dos deslocamentos humanos e busca por melhores caminhos para uma vida plena, vamos falar sobre algo que está tomando forma lentamente, tanto para o consumidor, quanto para quem fabrica produtos de moda: a valorização.

Aperfeiçoar produtos locais e em busca disso, apresentar produtos exclusivos é um dos melhores conselhos para o momento. Não é bem novidade que, notadamente o público tem dado – ainda não suficientemente o devido -, mais valor ao que tem assinatura local. Pequenos criadores são a “febre boa” de qualquer estação. Otimizar os produtos e garantir que cheguem ao consumidor devem ser os maiores desafios, entretanto, há dicas de como fazer isso da melhor e mais inteligente forma possível.

O que veremos…

Os conceitos: moda sem gênero e de gênero não-binário, aceitação da diversidade, moda sem distinção de idade, aplicação de tecidos sustentáveis, transformação da experiência de compras em ação memorável.

As cores: rosé, laranja, azul klein, verde oliva, off-white, terra.

As texturas: tricôs, couro, crochês, aplicações de patchs, nervuras.

As formas: amplas, esportivas, alfaiatarias, retas e confortáveis.

 




Deixe uma resposta