Programa Rumos anuncia 109 projetos aprovados no Brasil

Itaú Cultural aposta na cultura brasileira e apresenta mais um grupo de selecionados para projeto de fomento cultural

Fotos: Itaú Cultural, Eduardo Castanho e Daniel Lavenère/Divulgação

28/05/18

Comissão conta com nomes do meio cultural e artístico nacional

Muitas perguntas sobre a atual situação da cultura brasileira são feitas a todo momento. Talvez pelo fato de que nunca se viu, ouviu, sentiu e especulou-se sobre o futuro da arte e acerca do aculturamento, como tem sido visto. Quais são os rumos que serão tomados pela produção cênica, audiovisual, plástica, performática e afins? Dificilmente alguém terá uma resposta de bate-pronto, entretanto, há chances de conhecer os rumos acompanhando o resultado do Rumos Itaú Cultural.

Para o período que corresponde aos anos de 2017-2018, o programa reuniu uma comissão repleta de nomes importantes do meio cultural do país, e dos mais de 12 mil sonhos de lugares comuns e de cantos, talvez, inesperados, foram inscritos. Desses, 109 projetos foram aprovados e passam a integrar o rol de sonhos realizados pelo programa Rumos.

Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural, Ana de Fátima Sousa, gerente do Núcleo de Comunicação do Itaú Cultural, e Paula Gomes, cineasta e integrante da comissão de seleção, participaram da coletiva, que aconteceu na sede do instituto, em São Paulo (SP).

Entre os mais diversos formatos alguns motivos são memoráveis; a quantidade de projetos apresentados por jovens, intervenções ligadas à preservação histórica, defesa de direitos humanos estão entre as mais preciosas ideias aplicadas. A diversidade é um dos fatores relevantes e que conduzem parte do fio condutor das energias projetadas em espetáculos, residências, documentários, exposições, performances e criações. “A diversidade é apresentada em seu todo defendida e debatida a partir da experiência de cada projeto, independentemente das relações corporativistas naturais de cada uma das expressões”, argumentou Eduardo Saron.

Brasília com representação circense

Nós no Bambu, único projeto brasiliense aprovado pelo programa Rumos

 

Um dos projetos aprovados é brasiliense e cumpre o papel de resgate do circo na vida de uma sociedade em que a modalidade está se esvaindo. A Residência Nós no Bambu (Poema Mühlenberg Homem da Costa) trabalhará no desenvolvimento e ações e pesquisa acerca do tema circense.

O projeto visa compartilhar e multiplicar o trabalho cultural do grupo Cia. Nós no Bambu, que existe há 14 anos. A arte de entrelaçar dança acrobática, teatro e esculturas artesanais de bambu já fazem parte da cultura da capital do país e ganhará uma residência artística com artistas do circo e da dança em um projeto de pesquisa, trocas e cocriação.

Saiba mais sobre os projetos aprovados acessando itaucultural.org.br

(*) Fernando Lackman viajou a São Paulo à convite do Itaú Cultural