Zé Celso volta a Brasília para falar do Juízo Final

Montagem paulista ocupa o palco do Teatro da Caixa até o dia 24 de abril

Fotos: Divulgação

O visual revolucionário proposto por Zé Celso impressiona e ensina

O visual revolucionário proposto por Zé Celso impressiona e ensina

Quem não assistiu a um espetáculo de Zé Celso, não sabe o que é subversão. Ele é polêmico, ou sado, sexista e extremamente realista. O seu Teatro Oficina Uzyna Uzona é famoso por causar sensações extravagantes em seus expectadores e estreia, em Brasília, no dia 14 de abril e fica até o dia 24, a montagem “Pra dar um fim no juízo de deus”. De quinta a domingo, no Teatro da Caixa Cultural Brasília.

A peça radiofônica de Antonin Artaud, encenada pelo diretor há 20 anos, esteve em cartaz, em 2015, no próprio Teat(r)o Oficina, em São Paulo e conta em seus 90 minutos de muita poesia um capítulo expressivo do “teatro da crueldade”, colocando em causa o Juízo Final, afirmando a vitória da carne sobre deus.

"Pra dar um fim no juízo de deus" estreia em 14 de abril

“Pra dar um fim no juízo de deus” estreia em 14 de abril

O elenco se mostra envolto na polifonia sonora executada por Gustavo Lemos (som) com a banda formada por Carina Iglesias (percussão xamânica), Ito Alves (percussão xamânica) e Felipe Massumi (cello e canto). A direção e a dramaturgia contam com a escuta sensível da poeta Catherine Hirsch. A arquitetura cênica é assinada por Marília Gallmeister e Carila Matzembacher, e o cinema ao vivo tem Igor Marotti e Pedro Salim no comando. A montagem tem ainda direção de cena de Otto Barros, coreografia de Daniel Kairoz e produção executiva de Anderson Puchetti.


Camila_Mota_em_Pradarumfim_FOTO2- JENNIFER GLASS_FOTOS_DO_OFICIO

Elenco: Marcelo Drummond, Pascoal da Conceição, Camila Mota, Zé Celso, Roderick Himeros, Sylvia Prado, Joana Medeiros, Nash Laila, Daniel Fagundes, Rodrigo Andreoli e Leon Oliveira.

Quer ir?

“Pra dar um fim no juízo de Deus”, de Antonin Artaud

No Teatro da CAIXA Cultural Brasília (SBS Quadra 4 Lotes 3/4)

De 14 a 24 de abril, quintas à sábados, às 20h; domingos, às 19h

Bilheteria R$ 20 e R$ 10 (meia)

Classificação Indicativa: não recomendado para menores de 18 anos.